Seguidores

domingo, 24 de janeiro de 2010

CONFRATERNIZEMO-NOS



Emmanuel

Reunidos a serviço da Verdade e do Bem com o Cristo, não nos esqueçamos de que, se permanecemos à frente dos homens que necessitam do Espiritismo, colaboramos com o Espiritismo que não prescinde dos homens.

Efetivamente, é indispensável começar a jornada de elevação, acender a primeira luz e guardar a bênção do início. Entretanto, urge evitar a demora nas estações de trabalho incompleto.

A mera procura da Verdade organiza somente investigadores.

A exclusiva busca de benefícios perpetua a caçada ao menor esforço.

Estabelecer, simplesmente, o intercâmbio mediúnico, entre encarnados e desencarnados, com todos os aparatos de identificação, pode restringir-se à tarefa informativa.

Provar a sobrevivência individual, após a morte, sem criar incentivo à Espiritualidade Superior, é apenas a descoberta de campos novos com ausência de estímulo ao progresso e à edificação.

Fomentar o conforto sem apelos à responsabilidade é cristalizar o personalismo inferior e anestesiar as forças de acesso à consciência divina.

Distribuir mensagens consoladoras, por simples entusiasmo da crença, distantes do roteiro que oferecemos a outrem, será atender, em caráter exclusivo, a pura convenção postal entre dois mundos.

Orar, sem o sincero propósito de transformação para o Bem, é pretender a fabricação de instrumento providencial malhando em bigorna dágua .

Solicitar diretrizes do plano elevado, esperando que os desígnios divinos se adaptem aos nossos caprichos, é loucura do coração.

Doutrinar os outros, desordenadamente, é baratear a inspiração celeste.

Exigir a reforma alheia, de alma recolhida à macia poltrona das ilusões que assinalam a vida física, é tirania espiritual.

Em verdade, pesquisar a Luz e a Verdade, cooperar nas obras do bem e do esclarecimento constituem serviços abençoados que o Espiritismo nos presta; todavia, o aperfeiçoamento de nós mesmos é o serviço fundamental que podemos prestar-lhe, de modo a servi-lo, diante dos homens confundidos na atualidade de sofrimentos e incertezas, desesperos e incompreensão.

Para atingir o sagrado objetivo, é necessário viver com o Mestre as inolvidáveis lições do seu Evangelho de amor e, paz, de sacrifício e conversão.

Allan Kardec é o Missionário Sublime, que revela e prepara.

Jesus é o Mestre Supremo, que renova e ilumina.

Com o Apóstolo, temos as portas abertas; com o Senhor, recebemos o ministério da realização.

Do Cooperador Devotado, adquirimos o conhecimento em função da época; do Cristo Soberano, recebemos a luz imperecível para a Eternidade.

Amemo-nos uns aos outros.

Instruamo-nos e ajudemo-nos reciprocamente.

Confraternizemo-nos para enriquecer a Vida.

Revelação divina, sem renovação humana, é Luz sem espaço, como o Espiritismo humano, sem espiritualidade divina, é espaço sem Luz.

Afeiçoemo-nos, pois, ao Cristo, sentindo-lhe as lições e vivendo-as, convictos de que não haverá melhor mundo sem homens melhores.

Psicografia de Francisco Candido Xavier, em setembro de 1946, dirigida aos membros do II Congresso Espírita Nordestino, lida por Leopoldo Machado na sessão solene de encerramento.

REFORMADOR, FEVEREIRO, 1979

Fonte: http://www.mensagensespirituais.kit.net/index_arquivos/mensagens.htm

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...